Segunda licenciatura: por que fazer, como escolher, vantagens!

A área da educação é uma das que mais contrata no Brasil, e mesmo assim a carência de professores ainda é grande. Voltar a estudar e obter uma segunda licenciatura pode ajudar a abrir mais portas no mercado de trabalho.

A fim de ampliar sua atuação profissional ou mudar sua área de docência, a qualificação e habilitação são essenciais. A segunda licenciatura permite que isso ocorra de uma forma mais rápida do que o tempo que uma graduação normal levaria.

Neste post você entenderá a diferença entre a segunda licenciatura, a complementação pedagógica e a segunda graduação. Listamos outros detalhes sobre esse tipo de curso e como é uma segunda licenciatura EAD. Acompanhe!

Segunda licenciatura: o que é isso?

A segunda licenciatura é a possibilidade de uma formação mais rápida para aqueles profissionais que já têm uma licenciatura, independentemente da área. Dessa forma, o professor pode lecionar em mais de uma disciplina, ampliando seu campo de atuação.

Ela foi regulamentada pela Resolução nº 2, em 2015, pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), e desde então as instituições de ensino superior vêm oferecendo esse tipo de graduação.

Qual é a diferença entre a complementação pedagógica e a segunda graduação?

Com tantos termos diferentes, essa é uma dúvida bastante comum. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto.

O que é a complementação pedagógica?

Também conhecida como formação pedagógica, quando esse curso foi criado em 1997 pela Resolução CNE/CEB 02/97, a ideia era uma formação rápida e emergencial de professores para suprir a deficiência de profissionais habilitados em várias disciplinas e localidades.

Entretanto, desde então, muitos graduados que não tinham licenciatura, mas que queriam dar aulas na educação básica, têm procurado essa formação. Sua característica principal é que ela é especialmente voltado para bacharéis ou tecnólogos, ou seja, graduados sem licenciatura.

Com o mercado de trabalho bastante instável, muitos profissionais têm visto na docência a oportunidade de conseguir uma vaga de trabalho. Devido à escassez de professores em algumas áreas, não é difícil encontrar uma escola particular ou pública para lecionar, ainda que em caráter temporário.

Sua duração varia entre 1.000 e 1.400 horas, pois depende das disciplinas equivalentes entre o curso de graduação que o aluno já tem e a formação pedagógica que ele pretende fazer. Assim como na segunda licenciatura, é exigido que se cumpra um estágio supervisionado de 300 horas.

A complementação pedagógica é equivalente à licenciatura plena, por isso é importante ter certeza que a instituição que oferece os cursos está devidamente credenciada no MEC. Isso evitará futuros aborrecimentos e arrependimentos.

O que é uma segunda graduação?

Primeiramente, é preciso esclarecer o que é o termo graduação. Quando terminamos o ensino médio e queremos dar continuidade aos nossos estudos, procuramos uma instituição de ensino superior — faculdade ou universidade — que ofereça um curso que seja do nosso interesse. Esse curso será uma graduação. Portanto, a graduação é a próxima etapa na nossa formação acadêmica.

Existem 3 tipos de graduação: bacharelado, tecnólogo ou licenciatura. A duração desses cursos pode variar entre 2 anos (cursos tecnólogos) e 6 anos (o bacharelado em Medicina que é o mais longo deles). A pessoa que escolhe um curso de bacharelado adquire conhecimentos sólidos, mas generalistas sobre determinada profissão.

Se optar por um curso de tecnólogo, ela terá uma formação um pouco mais específica sobre o assunto. Já na licenciatura, os cursos têm duração de 4 anos. Além das disciplinas específicas, também são estudadas disciplinas relacionadas à educação, como Políticas Educacionais e Didática, permitindo ao graduado lecionar na educação básica.

Vamos à prática! Uma pessoa que se formou em Administração — portanto, bacharel — e deseja fazer um curso de Gestão Pública para se qualificar em uma nova área fará uma segunda graduação. Se quiser dar aulas de matemática para o Ensino Fundamental ou Médio, terá que fazer um curso de complementação pedagógica.

Se a intenção for se especializar na área de administração, é interessante descobrir como funciona uma pós-graduação ou o que é MBA e como eles podem colaborar com a aquisição de um conhecimento mais específico. Ficou claro?

Para que serve uma segunda licenciatura?

O objetivo principal da segunda licenciatura é permitir que o graduado licenciado, independentemente de já atuar como professor ou não, se qualifique a dar aulas em outra disciplina, diferente daquela em que já tem habilitação.

Alguns professores procuram a segunda licenciatura com a intenção de ampliar seu campo de trabalho e dar mais aulas. Outros percebem que não têm a paixão necessária por aquela disciplina e descobrem que querem mudar sua área de atuação. A segunda licenciatura é a oportunidade de um caminho mais rápido para que isso aconteça.

Segunda licenciatura: como funciona e como escolher?

Você pode encontrar esse curso na modalidade presencial ou no ensino a distância. Pesquise na sua cidade ou na sua região as instituições que oferecem esse tipo de curso de forma presencial e quais polos de universidades o oferecem no formato EAD.

Na hora de escolher, não leve em consideração apenas o valor da mensalidade, mas o reconhecimento da instituição de ensino superior e sua nota junto ao MEC. Observe a nota do curso, o apoio que o polo oferece e o material didático, entre outros aspectos. Lembre-se que mais do que um investimento financeiro, você vai dedicar o seu tempo na aquisição de conhecimento, que deve ser de boa qualidade.

Se você acha que não dá para conseguir uma vaga em uma instituição pública, pagar pelo seu estudo pode não ser um problema. Saiba que existem vários programas de financiamento estudantil oferecidos pelo governo, como o ProUni e o Fies. Algumas universidades particulares também têm suas próprias formas de financiamento e descontos, então informe-se antes de fechar sua matrícula.

Depende do seu perfil como estudante escolher entre a modalidade presencial ou a distância. Pense sobre as vantagens e desvantagens dos dois tipos e opte por aquela que melhor se adapta ao seu dia a dia e ao seu modo de estudo. O que não pode é ficar sem sua qualificação profissional.

Quais cursos são reconhecidos pelo MEC?

Na realidade, praticamente todos os cursos de licenciatura podem ser feitos como segunda licenciatura, em faculdade pública ou privada em todo o país. Você terá que verificar junto à instituição de seu interesse quais são os cursos que ela oferece.

Entre os principais, podemos citar:

  • Matemática;
  • Física;
  • Química;
  • Ciências Biológicas;
  • Ciências Sociais;
  • História;
  • Geografia;
  • Letras;
  • Pedagogia.

Para se certificar se determinado curso de licenciatura ou faculdade tem reconhecimento do MEC, você pode facilmente acessar o site e-MEC. Em “Consulta Avançada” você preenche alguns campos e consegue saber se é um curso reconhecido e autorizado pelo MEC. Além disso, tem acesso às informações sobre a instituição de ensino — inclusive sua nota do MEC.

Quanto tempo duram esses cursos?

Enquanto um curso tradicional de licenciatura tem a duração mínima de 3.200 horas, a carga horária mínima de um curso de segunda licenciatura varia entre 800 e 1.200 horas. Isso dura entre um ano e um ano e meio.

Essa variação acontece devido a uma análise comparativa entre o currículo do curso que o aluno já tem e o do que ele deseja fazer, que é realizada pela própria instituição de ensino.

Quanto mais similar — ou se o curso for da mesma área —, mais disciplinas serão eliminadas, o que significa menos tempo de estudo. É mais rápido para um professor de Matemática conseguir uma habilitação em Física do que em História, por exemplo, por pertencerem à mesma área.

Além disso, o aluno tem que fazer o estágio supervisionado de 300 horas, que pode ser reduzido para até 200 horas se ele já atuar no mercado de trabalho como professor.

Qual é a aceitação da segunda licenciatura no mercado de trabalho?

O fato de mostrar que você tem vontade de continuar estudando e adquirindo novos conhecimentos conta muito no mercado de trabalho. Demonstra que você quer crescer na sua profissão, se interessa em aprimorar suas aulas e em oferecer aos seus alunos um aprendizado cada vez melhor. Tudo isso é essencial em um professor, não é mesmo?

Uma segunda licenciatura agrega conhecimento, na mesma área de atuação ou não. Um professor de Física pode aproveitar muito uma segunda graduação em Matemática, assim como um professor de Literatura pode enriquecer suas aulas com uma segunda graduação em Artes ou História. O mercado está de olho na disponibilidade em aprender dos professores.

É interessante fazer uma segunda licenciatura para voltar ao mercado?

Se você está parado há algum tempo e já tem uma licenciatura, certamente uma atualização nos conhecimentos será bem-vinda. Como um curso de segunda licenciatura dura menos tempo, será uma boa oportunidade de ampliar seus conhecimentos em uma nova área.

Se você quer saber como melhorar o seu currículo, essa é uma boa forma para aumentar suas chances de conseguir uma vaga de trabalho em um mercado bastante exigente como o da educação.

É possível fazer uma segunda licenciatura para mudar de carreira?

Geralmente entramos na faculdade muito cedo, por volta dos 18 anos. Por sermos jovens demais, nem sempre temos certeza daquilo que queremos. Com o passar dos anos e a experiência de vida que adquirimos, descobrimos novas habilidades e possibilidades, e percebemos que aquela profissão pode não ser exatamente o que queríamos.

Também pode acontecer de, na época em que entramos na faculdade, algumas profissões ainda não existirem, como o curso de Mídias Sociais ou o curso de Marketing Digital. Não há problema nenhum em querer mudar de carreira. A mudança nem sempre é sinal de instabilidade, mas de amadurecimento.

No caso da licenciatura, não tem problema se você fez Física e se descobriu um apaixonado por História, ou se fez Pedagogia, mas gosta mesmo é de Educação Física. Também não importa se você não quer mais atuar dentro da sala de aula e pretende exercer um cargo de liderança, como a coordenação pedagógica ou a direção de uma escola.

O importante mesmo é trabalhar em algo em que dê satisfação. Isso é essencial para alcançarmos sucesso na carreira profissional. Afinal, não há nada pior do que ter que levantar todos os dias para encarar um trabalho do qual não gostamos.

Principalmente no caso dos professores, tem que haver paixão. Sabe-se que além de trabalhar dentro de sala de aula, ainda há a preparação das aulas, a correção de provas e exercícios e muitos finais de semana comprometidos. É preciso existir uma paixão pela disciplina que se leciona, pelos alunos, pelo poder da educação, pela vontade de dar aulas e pelo fato de poder transformar vidas.

A docência exige algumas habilidades do século XXI, como resiliência, constante busca pelo aprendizado, pensamento crítico, trabalho em equipe, multidisciplinaridade e boa comunicação.

A segunda licenciatura é válida para concursos?

O curso de segunda licenciatura tem a mesma validade da licenciatura plena, portanto, os portadores desses títulos têm os mesmos direitos. Isso quer dizer que eles também devem ser válidos para todos os concursos e processos seletivos.

O que pode acontecer é uma diferenciação de pontos na prova de títulos entre os candidatos que tiverem o título em primeira ou segunda licenciatura. Isso deve estar previamente especificado no edital do concurso, por isso, é importante que você o leia com atenção e tenha certeza de que realmente será do seu interesse participar do processo seletivo.

Como é a segunda licenciatura por EAD?

Ao optar por fazer sua segunda licenciatura a distância, você consegue unir os benefícios que ela oferece às vantagens encontradas nos cursos EAD.

Quais são as vantagens do ensino a distância?

Confira a seguir alguns benefícios do ensino EAD.

Total flexibilidade de horário

Você não tem que adequar o seu dia a dia a um horário fixo de estudo. Como as aulas são transmitidas pela internet, você escolhe o horário em que será melhor assisti-las — pode ser pela manhã, antes de ir para o trabalho, aproveitando que a cabeça está “fresca”.

Você também pode transformar a hora do almoço em hora de estudo, em vez de dar aquela cochilada. Ficar no escritório e esperar passar a hora do rush enquanto você estuda ajuda até a economizar combustível e a diminuir o estresse.

Chegar em casa, passar um tempo com seus filhos e começar a estudar só depois que as crianças forem dormir também é um bom plano. Assim, você não perde um tempo precioso em família. Você é quem decide em qual horário seu rendimento nos estudos será mais produtivo.

Mais comodidade

Não é necessário se deslocar a um lugar fixo para ter aulas. É possível estudar na sua casa ou em qualquer outro lugar, desde que você tenha um computador e acesso à internet. Se você precisa viajar a trabalho ou com a família, não há problema. Você não perde aulas, pois pode estudar de onde quer que esteja.

Menor custo

As mensalidades no ensino a distância costumam ser mais acessíveis do que no ensino presencial. Se somar os gastos que você não terá com transporte e alimentação por ter que ir para a faculdade, a economia será maior ainda.

Como funciona um curso a distância?

Depois de escolher o curso, a instituição e realizar sua matrícula, você terá acesso a uma plataforma de estudo, comumente chamada de ambiente virtual de aprendizagem. É por meio dela que você terá acesso às videoaulas, a fóruns, atividades, fará a entrega de tarefas, avaliações on-line etc.

Você também encontra o calendário com os prazos de entrega de tarefas e a participação nos fóruns, além dos cronogramas das aulas, material didático on-line, material complementar e tudo mais que precisar. Nesta plataforma ficam registrados todos os seus acessos, que contam como sua “presença” no curso e as notas nas tarefas. Você pode acompanhar tudo de perto.

Por meio do ambiente virtual de aprendizagem, o professor acompanha a participação de cada aluno na disciplina. Quando chega o prazo final, ele encerra e bloqueia a participação ou a entrega de tarefas. Por isso, é importante atentar-se aos prazos para evitar problemas.

O diploma do curso a distância tem o mesmo valor do presencial?

Sim, o diploma EAD é exatamente igual ao de um curso presencial. Nele, não vem especificado em qual modalidade o graduado realizou o curso, pois na verdade isso não faz diferença. Uma vez que a carga horária e a qualidade do aprendizado devem ser equivalentes, o que interessa é a qualidade do profissional que se formou.

Quais são as dúvidas mais frequentes sobre o ensino a distância?

Embora o ensino a distância tenha crescido bastante nos últimos anos, ainda são muitas as dúvidas que as pessoas têm sobre o assunto. Conheças alguns dos questionamentos mais comuns.

Não sou da geração digital. E se eu não souber como fazer algo na plataforma?

Você não está sozinho nessa jornada. Se tiver qualquer dúvida de como usar o ambiente virtual, vá até o polo mais próximo da sua faculdade que lá você vai encontrar funcionários aptos a darem todo o apoio e as orientações das quais você necessita.

Como levar a sério se posso fazer tudo a hora que eu quiser?

Achar que tudo pode ser feito na hora que quiser é um erro muito comum. Não é porque o curso é a distância que não existem regras a serem seguidas. Pelo contrário: há muito empenho, organização e seriedade por parte das pessoas que planejam, coordenam e lecionam nesses cursos.

O que o aluno pode ver “na hora que quiser” são as videoaulas. Entretanto, existe um cronograma até mesmo para as aulas, bem como para a entrega de tarefas, a participação em chats e fóruns de discussão e outras atividades, que deve ser respeitado e conta para sua nota na disciplina.

Se o aluno não cumpre o cronograma do curso, deixa de assistir alguma aula ou de realizar alguma tarefa, pode ficar com nota baixa e reprovar naquela matéria. Nesse caso, terá que refazer a disciplina para conseguir a aprovação no curso. Além disso, as provas costumam ser presenciais no polo da faculdade mais próximo a você. Tudo é devidamente regulamentado e acompanhado pelo MEC.

Fazer um curso a distância exige muita disciplina e comprometimento por parte do estudante. Ele deve criar sua própria rotina de estudo, organizar um lugar que seja adequado e não deixar que as distrações do cotidiano sejam mais fortes do que a motivação de estudar.

Os cursos a distância são mais fáceis que os presenciais?

Não. Eles devem oferecer o mesmo conteúdo e nível de aprendizado dos cursos presenciais. Na maioria das instituições, os professores do ensino a distância são os mesmos do presencial. O que muda mesmo é a forma como o conteúdo é apresentado e estudado.

Existe um material didático impresso para me ajudar a estudar?

A maioria dos cursos oferece material didático impresso, pois ele é muito importante para a fixação do conteúdo. Esse material pode ser usado antes ou depois de assistir a aula. O aluno tem nesse material um resumo do assunto abordado, no qual pode fazer suas próprias anotações e destacar os pontos que considera mais relevantes.

Muitas vezes, além de leituras extras e exercícios, o material traz indicações de diferentes sites e bibliografias nas quais o aluno pode aprofundar seus conhecimentos. Os polos costumam ter uma minibiblioteca com a bibliografia indicada para que os alunos possam consultar, se desejarem.

E se eu tiver dúvidas sobre o conteúdo? Como faço?

Apesar de não ter a presença física de um professor, no ambiente digital você conta com a presença de um professor-tutor, que está constantemente à disposição para tirar todas as suas dúvidas sobre os conteúdos que foram abordados. É um trabalho complementar ao do professor que deu a aula.

Além disso, você tem a oportunidade de se comunicar com seus colegas de curso via fóruns e chats de discussão, no qual o tutor também costuma participar. É a oportunidade de trocar conhecimentos com outros colegas de profissão, tirar suas dúvidas e colaborar com os questionamentos de outros alunos.

Seja para dar aulas em mais de uma disciplina e aumentar sua atuação no mercado de trabalho, seja para mudar de carreira, uma segunda graduação proporciona a aquisição de conhecimentos em menos tempo. Somada às vantagens de um curso EAD, não tem como não aproveitar essa oportunidade para melhorar a sua qualificação.

Agora que você já descobriu as vantagens que uma segunda licenciatura pode oferecer, não perca mais tempo e entre em contato conosco!

No Comments

Post A Comment