Conheça os principais programas de financiamento estudantil

ensino superior quanto para conseguir bolsas ou financiamento das mensalidades.
Os principais programas de financiamento estudantil no Brasil atualmente são o Sisu, ProUni e Fies. Esses programas têm como características em comum: a ampliação e a facilitação do acesso ao ensino superior; a utilização da nota do Enem como critério de seleção; o ingresso por meio de processos seletivos baseados na maior nota e o atendimento a alunos de todas as regiões do país graças ao processo automatizado via internet.
Além desses, as faculdades privadas podem oferecer programas próprios de financiamento para os alunos. Se você se interessou e quer conhecer mais sobre essas diversas oportunidades para incluir de vez um curso superior em seu currículo, continue lendo este post! Aqui vamos falar tudo sobre cada um desses programas e como utilizar o benefício. Confira!

Sisu

O Sistema de Seleção Unificada, ou Sisu, foi criado pelo Ministério da Educação como forma de selecionar candidatos para as vagas oferecidas pelas instituições públicas de ensino superior e usa a nota do Enem como principal critério. O sistema já é utilizado em parte ou integralmente em quase todas universidades públicas do Brasil.
O processo de seleção é todo feito por meio do site em que os interessados podem consultar todas as vagas disponíveis nas mais diversas universidades e, a partir de então, escolher a melhor opção de acordo com a localização, reputação da universidade, qualidade do curso e desejo.
Atualmente são 3 dias de seleção, ao todo, que ocorrem no prazo previamente estabelecido pelo edital do Enem. Durante o período, ao final de cada dia, cada instituição divulga a nota de corte para cada curso, o que permite que o candidato tenha uma previsão se a sua nota será ou não aceita para o curso pretendido. Caso esteja muito distante desse parâmetro, ele pode mudar e tentar uma outra vaga.
Pelo Sisu, o candidato pode selecionar até duas opções de cursos, podendo ser na mesma instituição ou não, sendo que, no final do processo, ele deve optar por apenas uma vaga. Se o estudante não conseguir o curso pretendido, pode entrar para uma lista de espera e aguardar as chamadas posteriores da universidade escolhida.

ProUni

O Programa Universidade para Todos – ProUni foi criado com o objetivo de oferecer bolsas de estudo integrais ou parciais em universidades privadas para estudantes de baixa renda. Com esse programa, o aluno arca com, no máximo, 50% do valor da mensalidade na instituição.
Para participar desse processo, o aluno também precisa ter feito o Enem e obtido uma pontuação mínima de 450 pontos sem ter zerado a redação. Outra condição fundamental é ter cursado o ensino médio em escolas públicas ou em escolas particulares com bolsa.
No ProUni, as bolsas integrais são destinadas a quem tem renda bruta familiar de até 1,5 salários mínimos per capita. Já as bolsas parciais exigem que a família do candidato tenha uma renda mensal de no máximo 3 salários mínimos por pessoa.

Fies

O Fies é o Fundo de Financiamento Estudantil, programa também criado pelo Ministério da Educação com o objetivo de financiar a graduação nas instituições privadas, facilitando o acesso dos alunos ao ensino superior.
O Fies tem como característica operar em fluxo contínuo, ou seja, pode ser requisitado em qualquer época do ano e, para se inscrever, é preciso estar ciente das seguintes condições:

  • é preciso que, durante a fase de utilização, no decorrer o curso, o aluno pague uma taxa de até a R$ 150,00 a cada 3 meses referente ao pagamento dos juros que incidem sobre o financiamento, que são, em média, de 6,5% ao ano;
  • depois de concluir o curso, o aluno terá um período de 18 meses de carência, no qual ele pode conseguir um emprego e recuperar o orçamento. Nesse período, também é preciso pagar a taxa referente aos juros;
  • por fim, depois do período de carência, o estudante pode parcelar o saldo da dívida em até 3 vezes o período financiado. Ou seja, se o curso teve 5 anos de duração, poderá pagar o financiamento em até 15 anos.

É importante destacar que para participar desse programa, o aluno precisa ter uma renda familiar bruta de até 2,5 salários mínimos por pessoa. Além disso, dentre os milhares de vagas disponibilizadas pelo Fies, algumas áreas são prioritárias, como formação de professores, medicina e engenharia. As regiões com IDH mais baixo também têm prioridade na hora da distribuição das vagas.
Vale destacar, ainda, que é possível utilizar o Fies associado ao Prouni, desde que sejam para um único curso. Ou seja, com essa vantagem, o interessado que conseguir uma bolsa parcial do Programa Universidade para Todos poderá financiar o restante pelo programa de financiamento estudantil.

Financiamento pela própria faculdade

Algumas faculdades particulares oferecem aos interessados um sistema próprio de financiamento para os alunos que desejam ingressar em um curso por meio do seu vestibular. Nesse caso, é a instituição de ensino superior que determina junto ao aluno as condições referentes aos valores, prazos para quitação, juros do financiamento e outros pontos como a necessidade ou não de fiador, período de carência, dentre outros.
Como vimos, existem diversas opções de programas de financiamento estudantil para o ingresso no ensino superior. Por isso o mais importante na hora de escolher um deles é ver qual se encaixa na sua realidade e está disponível para o curso do seu sonho. Depois disso, é muito importante atentar às datas de cada programa e não perder tempo!
Se você gostou de conhecer mais sobre essas oportunidades, compartilhe este post em suas redes sociais e conte aos seus amigos sobre esses programas!]]>

No Comments

Post A Comment