Estratégia digital: 7 dicas para inserir a empresa na era digital!

Sharing is caring!

Já passamos da fase em que fazia sentido o questionamento sobre ter ou não uma estratégia digital. Em 2017, 75% dos domicílios brasileiros tinham acesso à internet, e em apenas um ano o país ganhou cerca de 10 milhões de novos internautas, de acordo com uma pesquisa do IBGE.

Essa é uma ótima notícia. Além de ser possível saber onde o público está, o marketing digital costuma ser muito mais barato do que o tradicional e ainda fornece todas as informações e métricas para que você possa ir aprimorando a sua atuação nesse ambiente.

Isso não quer dizer que basta fazer uma página no Facebook e esperar que os resultados cheguem. Neste post vamos dar 7 dicas para você elaborar a estratégia digital de uma empresa. Acompanhe!

1. Tenha, de fato, uma estratégia digital

Parece estranho, mas precisamos começar nossas dicas dessa forma. Especialmente entre as pequenas, é comum o dono contar com conhecidos pouco capacitados para fazer o site, os perfis nas redes sociais e as peças gráficas.

Como a verba é pouca, o empresário contrata mão de obra barata e espera bons resultados — o que geralmente não acontece. Com base nisso, ele acaba acreditando que o marketing digital não funciona.

O problema é que isso não é uma estratégia. Para funcionar, ela tem que ser levada a sério. Isso não significa necessariamente gastar muito dinheiro, mas requer estudo, técnicas, planejamento, monitoramento e ajustes constantes — isso é ter uma estratégia digital.

2. Saiba quem é o seu cliente ideal

Toda empresa tem pelo menos um cliente ideal, ou seja, alguém com determinadas características e com problemas que podem ser resolvidos pela marca. No marketing digital, esse cliente é chamado de persona.

Com base no que você já sabe sobre a empresa e sobre o mercado em que ela atua, defina as características da persona que sejam relevantes para o negócio. Essas características podem ser idade, situação familiar, classe socioeconômica, profissão e localização.

Pense em quais são os objetivos e os problemas dessa persona e como a empresa pode ajudar a solucioná-los. Lembre-se: as pessoas não compram produtos e serviços, elas compram soluções e experiências.

Basta pensar em você mesmo: quando você vai sair de férias e compra uma passagem, reserva um hotel e agenda um passeio, você não está comprando aqueles pedaços de papel que dizem quando você embarca ou onde vai ficar. Você está comprando a experiência maravilhosa que espera ter naqueles dias.

3. Tenha um site próprio

O site da empresa é a “casa” dela, o cartão de visitas. Redes sociais vão e vêm, mudam as regras, o público e você não tem domínio sobre isso. Assim, é muito importante ter seu próprio espaço, em que você defina os parâmetros.

O site deve ser responsivo, ou seja, adaptado para dispositivos móveis — como celular e tablet. Não existe estratégia digital sem pensar no celular, que atualmente é a principal forma de acesso à internet para a maioria das pessoas.

4. Saiba onde o seu público está

Sabemos que as pessoas acessam a internet, mas exatamente o que na internet o seu público acessa e como?

Ele é jovem, ligado em moda e gosta de acompanhar as últimas tendências? Muito provavelmente deve estar no Instagram. É um executivo preocupado com a carreira, que busca mais conhecimento? O LinkedIn pode ser o melhor canal para falar com a sua persona.

É preciso conhecer o seu público e as características de cada rede social para conseguir ligar uma coisa à outra.

5. Não se esqueça do Google

Quando você quer alguma informação, o que faz? Busca no Google, certo? O resultado das buscas leva o usuário a diferentes sites. Esse processo faz com que o buscador seja responsável por 94% do tráfego orgânico, ou seja, daquele que ocorre sem a interferência de mídia paga.

Assim, investir no marketing de busca e estar bem posicionado no Google é importante se você quer atrair seu consumidor em potencial para o seu canal.

6. Invista em inbound marketing

Se você não conhece esse conceito, vamos explicar rapidamente. É uma estratégia de marketing que tem como objetivo atrair quem tem interesse no que você está dizendo ou oferecendo.

Fica mais fácil compreender quando comparamos o inbound ao marketing tradicional — o chamado outbound marketing. Imagine que a empresa compre um espaço publicitário em um canal de TV e veicule ali o anúncio do seu produto — tacos de golfe, por exemplo.

Todo mundo que estiver sintonizado naquele canal no momento em que o anúncio for veiculado vai ver a propaganda, goste a pessoa ou não de jogar golfe. Agora suponha que você produza vários artigos muito interessantes sobre golfe e publique o material no seu site. Quando alguém que gosta de jogar golfe procurar no Google “qual é o melhor taco de golfe para iniciantes?”, é provável que um dos seus artigos apareça entre as respostas. Assim, você atraiu alguém que já queria aquilo que a sua empresa tem a oferecer.

Qual dos dois públicos você acha que tem mais chance de fechar negócio?

7. Pense seriamente em produzir vídeos

Segundo o Google, o consumo de vídeos na web cresceu 135% de 2104 a 2018, e as pessoas veem vídeos pelos mais variados motivos: ouvir música, adquirir conhecimento etc.

O vídeo é uma ferramenta que oferece um universo infinito de possibilidades, o que tem tudo a ver com essa era tecnológica em que vivemos. No entanto, vale um alerta: assim como nos textos escritos ou em qualquer outra plataforma, o conteúdo é importante. Você precisa ter algo relevante a dizer e entender a linguagem do seu público.

Vimos que o planejamento é essencial para uma estratégia digital de sucesso. Use as métricas que cada canal fornece para conhecer cada vez melhor o seu público e o comportamento dele. Assim, você pode promover um processo de melhoria contínuo no seu plano e alcançar os resultados que espera.

Ficou interessado e quer saber mais sobre o assunto? Deixe um comentário e compartilhe sua experiência conosco!

No Comments

Post A Comment

shares