Segunda graduação ou pós? Descubra qual é a melhor opção!

Quem procura um segundo curso?

Há vários motivos que levam uma pessoa a fazer um segundo curso: ele pode ser visto como um caminho para aprofundar o conhecimento numa área da qual alguém tem atuado no trabalho, mas que é diferente da sua graduação inicial; também pode ser uma forma de atualizar a formação de quem fez faculdade há muitos anos e tem interesse em conhecer, em detalhes, o que surgiu de novo no seu campo nos últimos tempos.
Ou ainda há quem procure fazer um segundo curso para abrir caminhos em outras frentes no mercado de trabalho, seja porque está descontente com a área na qual fez a graduação, seja porque sonha em fazer uma transição profissional a médio prazo.
Neste último ponto, há casos, por exemplo, de executivos de grandes empresas que decidem se especializar em gastronomia para se manterem ativos depois de acumularem dinheiro em anos de trabalho em grandes corporações.

O que encontro nos dois tipos de curso?

Há grandes diferenças entre cursos de graduação e pós-graduação. Graduações são cursos que oferecem formações abrangentes sobre uma área do conhecimento. Até por isso são mais longos, durando de três a cinco anos. Enquanto isso, as chamadas pós-graduações lato sensu promovem formações mais direcionadas, focadas, com durações de um a dois anos.
Graduações buscam promover formações de base para os estudantes que, na maioria dos casos, são oriundos do ensino médio. Já os cursos de pós-graduação pressupõem maior maturidade intelectual dos alunos. Mesmo que eles não tenham feito a graduação na área em que estão cursando a pós, entende-se que esses estudantes tenham maior maturidade e autonomia, um contato prévio com o mercado de trabalho e uma outra relação com o conhecimento.
Outra diferença fundamental é que na pós-graduação os alunos tendem a ser colegas de curso de profissionais já inseridos no mercado de trabalho. Isso proporciona a construção de redes profissionais (o chamado networking), que podem ser bastante frutíferas a curto e médio prazo, com pessoas que podem abrir as portas para novas parcerias empreendedoras e, inclusive, para novos empregos. Nos casos de cursos a distância, há ainda a vantagem de estudar com colegas de todas as partes do país, o que torna ainda mais abrangente a formação de redes de contato.

Qual a profundidade de conhecimento em cada tipo de curso?

O aprofundamento do conhecimento oferecido nos cursos de pós-graduação e graduação é distinto.
Os cursos de pós-graduação, na maior parte das vezes, têm um direcionamento maior para conhecimentos práticos, compreendendo as inovações recentes do campo estudado, as demandas atuais e as projeções futuras para o mercado de trabalho. Para isso, muitos desses cursos contam com professores que conciliam a atuação no mercado e na academia.
Já os cursos de graduação, como adiantamos, buscam dar um panorama amplo de um campo do conhecimento, para que os profissionais formados naquele curso possam trabalhar com as várias possibilidades de atuação que ele oferece. Com isso, o tempo dedicado à teoria, por exemplo, é muitas vezes superior às práticas de laboratório e de vivências profissionais.

Quais os tipos de entrada?

Uma das grandes diferenças entre os cursos de pós-graduação e graduação são as formas de entrada.
Os cursos de graduação, no caso de faculdades particulares, podem exigir provas de vestibular ou, na maior parte das vezes, a nota do candidato na última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontece apenas uma vez por ano.
Além disso, algumas faculdades e universidades podem selecionar os alunos por entrevista ou redação.
Já nos cursos de pós-graduação, de especialização e MBAs, o processo de seleção foca nas experiências profissionais, pois em vez de uma prova, há uma análise do currículo do profissional. Alguns cursos, mais concorridos, podem realizar entrevistas, exigir provas ou redações para liberar a matrícula.
Na maior parte das vezes, há processos de seleção contínua para os cursos de pós-graduação ou seleções no início dos semestres.

Qual a diferença no tempo dos resultados?

O retorno do investimento feito nos cursos de graduação é a longo prazo, principalmente devido ao fato deles terem duração mais longa, como já adiantamos.
Já os cursos de pós-graduação, seja pela proximidade entre os professores e o mercado, seja pelas possibilidades de networking, tendem a promover retornos de curto e médio prazo. Os conhecimento vistos em sala podem ser aplicados, inclusive, no dia seguinte em seu trabalho.

Como fazer a melhor escolha?

A melhor escolha passa pelos seus objetivos pessoais. Se você procura uma formação ampla e abrangente, pode optar por uma graduação. Já quem procura maior dinamicidade, retorno rápido do investimento e diálogo com o mercado, deve procurar uma pós-graduação.
Outro ponto é que cargos de gerência, na maior parte das organizações, tendem a ser ocupados por profissionais com pós-graduação. Investir nela é, portanto, dar um passo importante para o seu crescimento profissional.
Também é preciso pensar nas melhores formas de se manter financeiramente enquanto o segundo curso é feito. No caso dos cursos de pós-graduação, muitos deles têm a opção de educação a distância, o que facilita a vida de muita gente. Já uma segunda graduação, com aulas diariamente, pode não ser tão interessante junto com o seu dia a dia de trabalho.
Além disso, com uma segunda graduação, pode parecer que o profissional tem alguma dificuldade de foco na carreira — apontam especialistas da área de recursos humanos. Principalmente, se ela for de uma área muito diferente da primeira ou não tiver nenhuma relação com a sua trajetória profissional.
Fato é que ambas as opções potencializam melhorias nos rendimentos salariais, propiciam melhores condições de crescimento no mercado de trabalho e abertura de possibilidades profissionais.
Você gostou do nosso post sobre como escolher entre uma segunda graduação ou pós? Siga nossa página no Facebook e fique sabendo de mais detalhes sobre conteúdos ligados à sua formação educacional.]]>

No Comments

Post A Comment